Comunidade

“Aula Magna com Stálin” estreia em junho no Teatro Arthur Azevedo

José Cardoso

A peça esteve em cartaz no Masp, passou pelo Teatro João Caetano e agora estreia temporada no Teatro Arthur Azevedo

Ambientada no inverno russo, o teatro Arthur Azevedo recebe a peça “Aula Magna com Stálin” neste mês de junho. A estreia está marcada para o dia 22 de junho, até o dia 1 de julho. O espetáculo se passa numa noite regada a cálices de vodka em que quatro figuras chave para a URSS se reúnem para discutir música: Stálin, Jdanov, seu mais fiel zelador de princípios artísticos, e os compositores Sergei Prokofiev e Dimitri Shostakovitch, interpretados respectivamente pelos atores Eduardo Semerjian, Luiz Damasceno, Carlos Palma e André Garolli.

Um espetáculo em dois atos. O primeiro, denso e dramático, carregado de opressão e violência. O segundo, uma sátira ao universo político e musical da União Soviética no ano de 1948.

Aula Magna com Stálin (Masterclass no original), do premiado romancista e dramaturgo britânico David Pownall foi escrita em 1982 e ganhou tradução de William Pereira em 1996, que também dirige a montagem.

Como nos lembra Edélcio Mostaço, crítico, ensaísta, dramaturgista e professor; ‘déspotas adoram malvadezas ao som de uma bela trilha sonora. Frederico II recebia Bach para jantares à luz de velas e ao som de um cravo bem temperado; Napoleão não dispensava acordes de Beethoven; Hitler costumava ouvir Wagner em seus momentos eufóricos e Stálin, o ditador soviético de origem georgiana, canções populares de sua terra natal.’ 

A montagem, dirigida por William Pereira, traz no elenco Carlos Palma, Luiz Damasceno, Eduardo Semerjian e André Garolli (Foto: Marcos Frutig/Divulgação)

“Aula Magna com Stálin” é ambientada em janeiro de 1948, na véspera da realização do Primeiro Congresso de Compositores da URSS. O encontro entre o ditador soviético, seu encarregado de política cultural, Andrei Jdanov, e os compositores Serguei Prokófiev e Dmitri Shostakovitch aconteceu apenas na imaginação de Pownall. Tal imaginação, porém, foi solidamente amparada, nutrida e informada pelo contexto histórico da época.

Para o dramaturgo britânico, o que parecia atrair, desde o início, além dos conflitos entre arte e poder, era a simultaneidade de humor e horror presente na transcrição das atas do congresso de compositores da URSS: “Por um lado, aquelas atas eram de gelar o sangue, mas também faziam rir (…). Havia uma certa mistura de terror e zombaria… e eu imediatamente soube que queria escrever uma peça a respeito”, afirmou Pownall em entrevistas sobre seu texto de maior sucesso.

A encenação, por William Pereira

O espetáculo Aula Magna com Stálin de David Pownall é uma tragicomédia, mais comédia do que tragédia, e essa diferença de “tonalidade” entre os dois atos é acentuada, destacando toda a dramaticidade do primeiro ato e a comicidade do segundo.

A ação se desenvolve em um dos salões do Kremlin com um grande piano de cauda. Nesta encenação o espaço cênico é um arquivo com centenas de caixas onde são arquivados os dossiês, relatórios, fichas de todo o mundo artístico da União Soviética. Esse espaço uma espécie de repartição pública, bunker e almoxarifado de um Departamento de Propaganda e Agitação tão comuns em regimes totalitários é pano de fundo para uma grande discussão sobre os rumos da Arte, as ligações entre Arte e Política e engajamento e militância, a individualidade do artista confrontada com os deveres de Estado.

A linguagem realista do texto foi mantida, assim como a caracterização dos atores, para que se aproximem das figuras históricas retratadas: Stálin, Jdanov, Prokofiev e Shostakovitch.

A trilha sonora é composta por trechos das obras dos compositores-personagens, e música especialmente composta, utilizando-se procedimentos e características das obras de Prokofiev e Shostakovitch.

Ficha Técnica:

  • Texto : David Pownall
  • Tradução : William Pereira
  • Direção, Cenografia e Trilha Sonora : William Pereira
  • Elenco : Eduardo Semerjian, André Garolli, Carlos Palma e Luiz Damasceno
  • Josef Stálin: Eduardo Semerjian
  • Andrei Jdanov: Luiz Damasceno
  • Sergei Prokofiev: Carlos Palma
  • Dimitri Shostakovich: André Garolli
  • Diretora Assistente : Angela Barros
  • Composições e Direção Musical : Miguel Briamonte
  • Diretor Musical Assistente : Marcel Baliero
  • Figurinos : Fabio Namatame
  • Iluminação : Caetano Vilela
  • Maquilagem : Eliseu Cabral
  • Alfaiate : Domingos De Lello
  • Peruca Stalin : Adriana Almeida
  • Programação Visual : Paulo Falzoni
  • Fotos e Video : Marcos Frutig
  • Assessoria de Imprensa : Adriana Monteiro
  • Operação de Luz : Sylvie Laila
  • Operação de Som : Tiano Andrade
  • Diretor de palco : Henrique Pina
  • Apoio de Palco e Camarins : Deoclécio Alexandre
  • Apoio Teórico e Texto do Programa : Irineu Franco Perpétuo
  • Coach de russo : Pedro Augusto Pinto
  • Assessoria Jurídica : Décio Alarcon
  • Assistente de Produção : Adriana Florence
  • Direção de Produção : Leopoldo De Léo Junior
  • Produção : LNW Produções Artísticas

Serviço:

  • De 22 de junho a 01 de julho, no Teatro Arthur Azevedo: – Av. Paes de Barros, 955
  • Sextas-feiras, às 21h, sábados, às 20h30 e domingos, às 19h.
  • Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00
  • Indicação de faixa etária: 16 anos
  • Duração: 100 minutos
  • Estacionamento: Sim (Vagas limitadas)
  • Acessibilidade especial
  • Capacidade Total: 349 lugares
  • Poltrona Convencional: 333 Lugares
  • Espaço para cadeirante: 08 lugares
Click para comentar

Escreva uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quanto é 15 + 12 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para prosseguir, você precisa resolver a simples questão matemática acima (assim sabemos que você é um ser humano) :-)

Mais Lidos

Diretor Responsável:
ARNALDO NOLASCO

Endereço:
Rua Carneiro Leão, 290
Sala 21| Bloco 01
CEP: 03040-000 | São Paulo - SP | Brasil
Tel/Fax: (11) 3272-8186

Copyright © 2018 Gazeta da Mooca, um jornal a serviço da comunidade.

Topo