Internacional

Autoridades buscam explicações para ataque em base naval de Washington

Autoridades de Washington se perguntavam nesta terça-feira como um ex-militar dos EUA com um histórico de problemas com a lei conseguiu obter autorização para entrar numa base da Marinha, onde matou 12 pessoas antes de ser morto pela polícia.

O suspeito, Aaron Alexis, de 34 anos, um prestador de serviço da Marinha de Fort Worth, no Texas, entrou na base naval de Washington segunda-feira de manhã e abriu fogo, espalhando pânico na base localizada a apenas 2,5 quilômetros do Congresso dos EUA e a 4,8 quilômetros da Casa Branca.

Os investigadores ainda estão à procura do motivo para o ataque. Alexis tinha autorização para entrar na base, na margem do rio Anacostia, apesar de dois incidentes com a Justiça por uso de armas de fogo e de ter sido dispensado da reserva da Marinha em 2011, após uma série de problemas de má conduta.

Perturbado pelo 11 de setembro

Alexis disse à polícia em 2004 após se envolver em um incidente com arma de fogo que estava presente durante os “trágicos eventos de 11 de setembro de 2001”, e que isso o deixou “perturbado”.

O suspeito fazia tratamento psicológico desde agosto, financiado pela Administração dos Veteranos. Ele apresentava sintomas de  paranoia e insônia, além de ouvir vozes.

Fontes ouvidas pela agência AP disseram, no entanto, que ele não foi declarado “mentalmente incapaz”, o que teria revogado seu passe para acessar o complexo.

De acordo com seu pai, que não teve o nome divulgado pelas autoridades, Aaron sofria de estresse pós-traumático (conjunto de sintomas psicológicos que atingem pessoas que passaram por momentos trágicos como guerras ou grandes desastres) após os ataques terroristas contra o World Trade Center, em Nova York, e o Pentágono, em Washington DC.

A CNN informou militares são geralmente proibidos de portar armas em instalações militares nos Estados Unidos, mas a maioria das pessoas com credenciais adequadas não passa por revistas rotineiramente.

A polícia matou Alexis em uma troca de tiros depois que ele entrou na sede do Comando Naval por volta das 8h20 (9h20 no horário de Brasília) e começou a atirar nas pessoas que estavam em uma lanchonete, disseram testemunhas.

Alexis estava armado com um fuzil AR-15, uma espingarda de cano duplo e uma pistola, disse uma fonte policial.

O incidente é o pior ataque a uma instalação militar dos EUA desde 2009, quando o major Nidal Hasan abriu fogo contra soldados desarmados em Fort Hood, no Texas, matando 13 pessoas e ferindo 31.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quanto é 12 + 4 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para prosseguir, você precisa resolver a simples questão matemática acima (assim sabemos que você é um ser humano) :-)

Mais Lidos

To Top