Saúde

Gravidez após bariátrica: saiba quais são os riscos e benefícios

Reprodução/Google

Gestação segura e saudável depois da cirurgia de redução de estômago é possível, mas é preciso ter alguns cuidados

As mulheres em idade reprodutiva correspondem a quase 50% das pacientes submetidas à cirurgia bariátrica. Após essa cirurgia, no entanto, o corpo sofre inúmeras transformações e precisa passar por um período de adaptações.

O ideal, segundo especialistas, é que se espere um mínimo de 18 meses antes de engravidar, sendo que o ideal é que a gestação aconteça após 2 anos. Este é o período médio que o organismo leva para estabilizar o processo de emagrecimento, inclusive as taxas hormonais femininas.

“Uma gestação nos primeiros seis meses após a cirurgia pode gerar muitas intolerâncias, vômitos e deficiências nutricionais intensas, necessitando, às vezes, reposição de vitaminas por injeções endovenosas ou intramusculares”, comenta Dr. Ivan Sandoval de Vasconcellos, cirurgião especialista em Gastroplastia da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

Já para o bebê, um dos maiores riscos é a prematuridade. Alguns estudos apontam risco de 50% de nascimentos prematuros quando a gestante engravida antes de completar um ano da cirurgia, além dos riscos de baixo peso do feto ao nascer. 

Evitando a gravidez

Dra. Carla Montaldi Maruxo Youssef, ginecologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, explica que, devido à redução de peso, muitas mulheres cursam com irregularidade menstrual e acreditam ter maior dificuldade de engravidar; quando, na verdade após a cirurgia podem ter um aumento da fertilidade. Portanto, para evitar a gravidez principalmente nos primeiros 18 meses pós cirurgia, é importante utilizar métodos contraceptivos adequados. 

Encarando a gravidez

Vale frisar que um bebê tem mais chances de nascer saudável após a cirurgia de redução de estômago do que durante a obesidade. Isso porque, conforme explica Dr. Ivan, quando a gestante tem sobrepeso existe o risco de problemas como hipertensão, pré-eclâmpsia, diabetes e parto prematuro.

“Há também mais riscos de complicações no parto normal ou cesárea, como acontece em qualquer cirurgia que o obeso precise fazer. Os exemplos são hemorragia, infecções, dificuldade na cicatrização ou até mesmo problemas respiratórios e a tão temida embolia pulmonar”. Mesmo assim, o médico explica que a gravidez de uma mulher que já passou pela bariátrica inspira cuidados especiais.

Segundo ele, “é importante fazer um acompanhamento multidisciplinar com ginecologista, nutricionista, endocrinologista e psicólogo para garantir uma gravidez mais saudável tanto para a mãe quanto para o bebê”.

Confira a seguir quais são os principais cuidados que a mulher precisa ter durante a gravidez:

3 principais cuidados com a gravidez após a bariátrica

1 – Preparo para engravidar

Devido ao rápido emagrecimento provocado pela cirurgia, as mulheres podem apresentar falta de alguns nutrientes essenciais, o que pode prejudicar uma gravidez. Assim, é importante preparar o organismo antes de engravidar e, se orientado pelo médico, fazer suplementação com vitaminas específicas.A ginecologista explica que esses elementos vão fortalecer o desenvolvimento do bebê e evitar problemas dos sistemas imunológico e neurológico.  Dr. Ivan conta que as vitaminas que podem ter mais problemas na absorção via oral são as do Complexo B e o Ferro. Eventualmente, é necessário que essas vitaminas sejam administradas via intramuscular ou endovenosa. Há variação, porém, conforme a técnica cirúrgica, características pessoais, e aderência às boas práticas alimentares orientadas. 

2 – Alimentação durante a gestação

Além dos cuidados com o equilíbrio nutricional, a gestante deve acompanhar o ganho de peso para evitar que volte a desenvolver obesidade durante a gravidez e, ao mesmo tempo, garanta o desenvolvimento saudável do bebê.  O controle alimentar é fundamental durante toda a gravidez, sendo necessário fazer refeições mais frequentes e evitar alimentos ricos em açúcar. É possível que a gestante pós-cirurgia bariátrica sofra com sintomas como azia, vômito, dores abdominais e hipoglicemia com maior frequência do que quem não passou pela cirurgia. Dessa forma, é o acompanhamento nutricional com uma dieta equilibrada e fracionada que ajudará a reduzir os desconfortos para uma gestação mais tranquila.

3 – Saúde emocional

O médico explica que essa é uma das principais questões que a mulher deve cuidar durante a gravidez. A perda de peso após a bariátrica é tão intensa que algumas pessoas sentem um forte abalo emocional.  No caso de gravidez, as alterações hormonais somadas podem potencializar o impacto emocional da cirurgia. Por isso, é recomendado acompanhamento psicológico durante toda a gestação.

“O equilíbrio emocional da gestante é tão importante quanto a saúde física e não deve ser ignorado”, lembra Dr. Ivan. Por fim, o médico ressalta que a gestante terá que seguir os mesmos cuidados que qualquer paciente que tenha realizado a bariátrica e, se o período inicial de 18 meses for cumprido e houver acompanhamento médico adequado, ela estará totalmente apta para ter um bebê. “Tendo todos esses cuidados, a mulher terá uma gestação melhor do que se estivesse obesa”, reforça.

Click para comentar

Escreva uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quanto é 11 + 11 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para prosseguir, você precisa resolver a simples questão matemática acima (assim sabemos que você é um ser humano) :-)

Mais Lidos

Diretor Responsável:
ARNALDO NOLASCO

Endereço:
Rua Carneiro Leão, 290
Sala 21| Bloco 01
CEP: 03040-000 | São Paulo - SP | Brasil
Tel/Fax: (11) 3272-8186

Copyright © 2018 Gazeta da Mooca, um jornal a serviço da comunidade.

Topo