Cultura e Lazer

Virada Cultural começa pela primeira vez na sexta

Criada para refletir o espírito tipicamente paulistano de uma cidade que “nunca para”, a edição de 2016 da Virada Cultural acontece na próxima semana, nos dias 20, 21 e 22 de maio. O evento contará com 700 atrações culturais, entre shows musicais, atividades infantis e oficinas culturais, e pela primeira vez será realizada em todas as 32 subprefeituras da capital.

“As atividades culturais na cidade funcionam praticamente o ano inteiro com o Circuito São Paulo de Cultura. Todos os equipamentos de cultura estão sendo mobilizados, Casas de Cultura estão sendo recuperadas, e os teatros municipais que estavam em situação precária foram devolvidos para cidade. E as pessoas que atuam nesses equipamentos se propuseram a participar da Virada. Os curadores fizeram a melhor programação possível, com base nas propostas, de maneira que todas as linguagens foram contempladas na programação”, disse o prefeito Fernando Haddad.

Pela primeira vez, a Virada Cultural começa já na sexta-feira (20), com um happy hour das 17h às 23h, no perímetro entre a Avenida Ipiranga e a Praça da Sé, onde nove pontos recebem atrações culturais. A Casa de Francisca, que em breve se mudará para o Palacete Tereza Toledo Lara, no Largo da Misericórdia, apresenta na varanda do imóvel vários artistas em uma serenata para o público na rua. A programação conta com Ná Ozzetti, Arrigo Barnabé, Luiz Tatit, Kiko Dinucci, Siba, Juçara Marçal, Rodrigo Campos e Romulo Fróes, entre outros.

Nos cinco palcos montados em ruas, centros culturais, casas de cultura, teatros e bibliotecas, nomes como Emicida, Mano Brown, NX Zero, Elba Ramalho, Negra Li, Gaby Amarantos e Chico César dividirão espaços com artistas locais que são desconhecidos até em seus bairros. A medida contribui para a democratização da cultura e se soma a ações da Prefeitura como a abertura de salas públicas de cinema da Spcine ou o Circuito Municipal da Cultura, responsáveis por aproximar o paulistano mais pobre de todos os tipos de arte.

A secretária municipal de Cultura, Maria do Rosário Ramalho, explicou que a ideia é aproveitar a efervescência que já existe no Centro e colocar tablados com apresentações musicais próximos a bares e restaurante, visando principalmente às pessoas que já trabalham e frequentam a região na noite de sexta.

No sábado, o Palco Júlio Prestes, o principal do evento, será aberto com show do cantor Ney Matogrosso, às 18h, seguindo com nomes de Alcione, Criolo, Nação Zumbi e a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo tocando Villa-Lobos, Stravinsky e Ravel, sob a  regência do maestro Isaac Karabtchevsky.

Já o Palco São João será dedicado às mulheres. Diferentes gêneros musicais se encontrarão nas apresentações de cantoras como Valesca, Elba Ramalho, Elza Soares, Céu e Maria Rita.

Um grande sucesso do ano passado, o Palco dos Musicais, terá reedição em 2016, no Vale do Anhangabaú.  A programação traz espetáculos que foram sucesso de bilheteria nos palcos paulistanos, como “Elis, A Musical”, uma biografia de Elis Regina, “Raia 30 – O Musical”, que conta a trajetória nos palcos da atriz Claudia Raia, e “Dzi Croquetes”, homenagem aos artistas da formação original do grupo inovador e polêmico da década de 1970. Montagens que estão atualmente em cartaz na cidade, como “Gilberto Gil, Aquele Abraço – O Musical” e “SamBRA”, completam a programação gratuita.

O Theatro Municipal de São Paulo mantém a tradição de receber shows de discos históricos na íntegra. No sábado, Hyldon abre cantando o álbum “Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda” (1975), às 19h de sábado. Wanderléa se apresenta na sequência com “Feito Gente” (1975), às 23h. No domingo, a Orquestra Experimental de Repertório, regida pelo maestro Carlos Moreno, apresenta, às 11h, peças  de Frederic Chopin, Peter I. Tchaikovsky e Edino Krieger. Às 15h, é a vez Erasmo Carlos, que canta “Carlos, Erasmo” (1971), e Geraldo Azevedo, que encerra o dia com “Bicho de Sete Cabeças” (1979).

Democratização da Cultura
Outra grande novidade da 12ª edição da Virada Cultural é a ampliação das atividades por todas as 32 subprefeituras da cidade, indo muito além da já extensa programação realizada na região central. Alguns artistas se apresentarão tanto no Centro como na periferia da cidade, dando ao munícipe a escolha de onde ver aquela atração.

Para receber essas atrações, a Prefeitura montou cinco palcos externos nos bairros: dois na zona sul, em Parelheiros e M’Boi Mirim; dois na zona leste, no Parque do Carmo e Jardim Helena; e um na zona norte, em Pirituba. Além disso, dez unidades dos CEUs e as unidades do Sesc também receberão programação da Virada Cultural.

Segurança
Para melhorar a segurança durante a Virada Cultural, a Prefeitura de São Paulo optou por diminuir o perímetro entre os palcos do Centro, facilitando a locomoção do público entre um e outro e deixando as regiões com um maior número de pessoas. Outra medida importante foi em relação à iluminação. Até o fim de semana da Virada, o Ilume (Departamento de Iluminação Pública) trocará 724 luminárias na região central e no Beco do Batman, na Vila Madalena.

Durante os três dias, a Polícia Militar irá trabalhar com um efetivo com mais de mil homens. Além disso, a Virada Cultural contará com 1500 seguranças particulares e 2500 homens da Guarda Civil Metropolitana.

A programação completa, com datas, horários e todas as informações sobre a Virada Cultural, está disponível no site: www.viradacultural.prefeitura.sp.gov.br.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quanto é 8 + 15 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para prosseguir, você precisa resolver a simples questão matemática acima (assim sabemos que você é um ser humano) :-)

Mais Lidos

To Top