Notícias

Ventilador pulmonar da USP será usado em pacientes com coronavírus no Hospital das Clínicas

Divulgação/Governo de SP

Desenvolvido em 4 meses, o Instituto do Coração vai usar equipamentos no tratamento em 40 pacientes; projeto visa produção em larga escala e baixo custo

Na última quarta-feira (15), o Governo do Estado de São Paulo anunciou em coletiva de imprensa a utilização dos ventiladores pulmonar emergencial Inspire, desenvolvido por uma equipe de pesquisadores da Escola Politécnica da USP, para o atendimento a pacientes com coronavírus atendidos no Instituto do Coração do HC (Hospital das Clínicas) da Faculdade de Medicina da instituição.

“É um grande dia para a ciência brasileira. Um grande anúncio que parte da USP, a melhor do país e da América Latina”, declarou o Governador. “Estes equipamentos demonstram a capacidade dos pesquisadores, professores e alunos que desenvolveram em apenas quatro meses e a um baixíssimo custo a produção de respiradores. Ainda em pequena escala, mas que ao longo do tempo e gradualmente ganhará condições mercadológicas”, disse Doria.

Desenvolvido em um prazo de quatro meses por uma equipe de 200 pesquisadores, o projeto visa a produção de ventiladores pulmonares em grande escala em fábricas no território nacional, com custo reduzido e tecnologia majoritariamente brasileira. O custo unitário é estimado pela USP entre R$ 5 mil e R$ 10 mil.

O projeto oferece uma alternativa para suprir a demanda hospitalar provocada pela pandemia. O equipamento pode ser usado tanto em casos de média complexidade como nas ocorrências de infecção por coronavírus que exigem terapia intensiva.

Um estudo clínico aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa viabilizou o uso de dez ventiladores para atendimento a 40 pacientes do Incor a partir desta quinta (16). A USP está cumprindo as exigências finais da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para a produção e distribuição dos aparelhos em grande escala.

Projeto Inspire

O ventilador pulmonar Inspire foi desenvolvido por uma equipe multidisciplinar de pesquisadores da Escola Politécnica da USP. O grupo é coordenado pelos professores Raúl Gonzalez Lima e Marcelo Knörich Zuffo. Uma parceria entre o Governo de São Paulo e a Marinha prevê a produção de dez a 20 equipamentos por dia.

A iniciativa também envolve outras unidades da USP e sete instituições parceiras e recebeu doações privadas que já ultrapassam R$ 7 milhões. O Governo de São Paulo está apoiando a captação de investimentos para o projeto por meio da InvestSP, agência estadual de promoção de investimentos e competitividade.

Click para comentar

Escreva uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quanto é 15 + 10 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para prosseguir, você precisa resolver a simples questão matemática acima (assim sabemos que você é um ser humano) :-)

Mais Lidos

Topo