Saúde

O que você precisa saber sobre a febre amarela

iStock/Reprodução

A febre amarela voltou a ganhar os holofotes graças a confirmação, no fim de semana do dia 21 de outubro, de que um macaco encontrado morto no parque do Horto Florestal, na zona norte de São Paulo, tinha o vírus.

De lá para cá, milhares de paulistas que moram na região foram vacinados – e o governo estadual pretende imunizar pelo menos 1 milhão de habitantes dessa parte da cidade.

O ser humano é contaminado acidentalmente, quando vai para áreas rurais ou silvestres que tem a circulação da febre amarela. O ciclo da Febre Amarela Urbana (FAU) envolve o homem e tem como vetor principal o Aedes aegypti.

Caso você tenha viajado para alguma área de risco de transmissão no Brasil ou para Cidades do Estado de São Paulo, fique atento. Os sintomas aparecem, geralmente, 3 a 6 dias após a picada do mosquito transmissor infectado, mas podem levar até 15 dias para ocorrerem. Cerca de 20-50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer.

Após a infecção pelo vírus pela picada do mosquito transmissor infectado, a doença leva, em média, até 15 dias para o surgimento dos primeiros sintomas, que incluem:

  • Febre de início súbito;
  • Calafrios;
  • Dor de cabeça;
  • Dores nas costas;
  • Dores no corpo em geral;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Fadiga;
  • Fraqueza;
  • Icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos);
  • Sangramentos.

Vale ressaltar que o estado inteiro de São Paulo contabiliza 22 casos e 10 mortes por febre amarela. E nenhum representa um “caso urbano” – ou seja, transmitido dentro de grandes centros urbanos.

O que devo fazer se apresentar os sintomas?

Procure um médico na unidade de saúde mais próxima e informar sobre qualquer viagem ou deslocamento para área de risco nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas.

O tratamento é sintomático, com repouso e com hidratação. Nas formas graves, o paciente pode necessitar de Unidade de Terapia Intensiva. Salicilatos devem ser evitados (ex. AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de hemorragias.

Vacinação – quem não deve tomar?

Salvo outra indicação do médico, alérgicos ao ovo, pessoas com imunidade baixa (portadores de HIV, por exemplo), transplantados ou pacientes submetidos à quimioterapia ou radioterapia.

Gestantes e mulheres que estão amamentando crianças com menos de 6 meses precisam conversar com o profissional de saúde.

Além da vacinação, convém passar repelente e adotar outras medidas que evitam a picada do mosquito. Atualmente, há registro apenas de transmissão pelos mosquitos Sabethes e Haemagogus, que levam o vírus da febre amarela do macaco para o ser humano.

Mas é possível que o Aedes aegypti pique um indivíduo infectado e transmita a doença – seria a chamada urbanização da febre amarela, o que não ocorrre há décadas no Brasil.

Click para comentar

Escreva uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quanto é 4 + 8 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANTE! Para prosseguir, você precisa resolver a simples questão matemática acima (assim sabemos que você é um ser humano) :-)

Mais Lidos

Diretor Responsável:
ARNALDO NOLASCO

Endereço:
Rua Carneiro Leão, 290
Sala 21| Bloco 01
CEP: 03040-000 | São Paulo - SP | Brasil
Tel/Fax: (11) 3272-8186

Última Edição

Copyright © 2018 Gazeta da Mooca, um jornal a serviço da comunidade.

Topo